segunda-feira, 28 de setembro de 2015

google-site-verification: google9c33fe73c3820469.html

google-site-verification: google9c33fe73c3820469.html

sábado, 26 de setembro de 2015

Paguem a conta de roubalheira, eleitores!


sábado, 17 de janeiro de 2015

Quadrilhas, bandos e organizações criminosas

Getúlio Vargas e a Lei das Contravenções Penais 3688 de 1941. Viva!

As quadrilhas e os bandos. 

Os amigos dos quadrilheiros. 
Os parentes deles. 
As quadrilhas de cunho familiar. 
As pessoas que não sabem diferenciar o certo do errado e caem nas mãos dos espertinhos que causam seu descaminho.

Dizem que a Lei das Contravenções Penais atinge apenas os crimes de menor poder ofensivo, mas não é verdade. Sei na prática que tais leis são contra os crimes cujos potenciais podem atingir grande ofensividade. É só lembrarmos do poder dos bicheiros, do jogo do bicho. 


Os direitos tutelados por esta lei são direitos básicos e se não forem defendidos, darão grande poder aos bandidos, bandos, quadrilhas e organizações criminosas. São o garfo e faca da polícia e da fiscalização negligentes e corruptas. 

As Lei das Contravenções Penais de 1941 que o judiciário cultuou dar pouca importância são as armas para justiça combater as quadrilhas nos nascedouros. 

O nascedouro cultural brasileiro do prazer em agir em bando está aí, na contravenção penal.  Na festa barulhenta, tocar fogo no mato, desrespeitar o vizinho acintosamente e muito mais.

Espero que o Ministério Público atente bem para isto. Ainda mais com a delação premiada. Faremos a festa... Silenciosa.